sábado, 26 de abril de 2014

Depois de alguns anos...

...encaixotadas e guardadas na arrecadação, senti-me agora preparada para abrir a caixa onde guardei algumas das recordações que trouxe da casa do meu avô quando faleceu.

Estas, foram algumas peças com que escolhi ficar, estavam "consumidas" pelo tempo, a precisarem de serem arranjadas, por isso, e por não me sentir capaz de o fazer na altura, foram ficando. Hoje, ao abri-la, recordei com carinho, saudade mas já sem grande dor, a perda dos meus avós.


Gosto muito desta caixa, a tampa muito trabalhada no exterior, o interior todo forrado a cetim azul e com um espelho biselado no interior da tampa. Esta será garantidamente a peça que demorará mais tempo a arranjar, mas vai valer a pena.
 


 
 
No seu interior, várias imagens de santos, que a minha avó juntava dos tempos em que a vida lhe pregou uma grande rasteira e com 17 anos, teve que tirar um rim, corria o ano de 1933.
 

Um conjunto de escovas de prata, já com muito poucas cerdas. Alguém me sabe dizer o que posso fazer para manter as poucas que lhes restam?
 

Também guardei 3 molduras, aqui ficam alguns detealhes delas;






E por fim, o copo de água que "dormia" todas as noites na mesa de cabeceira da minha avó.



Agora minhas queridas, vou ali começar a limpar e tratar destes meus pequenos tesouros.

Bjs!!!



22 comentários:

  1. Como eu adorava ter uma caixinha assim para abrir,que coisas tão bonitas e cheias de significado.Tenho a sorte de ter os meus avós vivias ainda e vou trazendo algumas coisas que a minha avo diz que só servem para guardar pó ;)mas ainda não trouxe coisas tão bonitas ;)
    Aproveito para te dizer que o azul e azul grego da marca luxens ( não descansei enquanto não descobri)
    Um bj e bom resto de fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Celine, tens os maiores tesouros, os teus avós junto de ti! :)
      Obrigada, vou procurar.
      Bjs e boa semana,
      MJ

      Eliminar
  2. Querida realmente usted tiene guardados verdaderos tesoros , una maravilla de piezas antiguas que ya no hay

    ResponderEliminar
  3. Maria João! Pequenos GRANDES tesouros que certamente vão encontrar um recanto cheio de encanto aí na sua casa! Vou aguardar para ver... Trate tudo com o carinho que merece, são peças lindas, cheias de história, e que um dia devem passar para os seus filhos... Beijinhos! Manuela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Manuela, Obrigada, só espero conseguir dar-lhes o destaque que merecem.
      Bjs,
      MJ

      Eliminar
  4. Que ricas peças!! Não te sei ajudar nas cerdas mas espero que consigas fazer o que pretendes com essas relíquias :)

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  5. E são mesmo grandes tesouros, raros. Sei que vai fazer um bom trabalho com eles. Bom fim de semana. Bj

    ResponderEliminar
  6. Oi Maria João,
    Realmente você está com tesouros nas mãos!
    Achei tudo muito lindo, especialmente as molduras.
    Beijos

    ResponderEliminar
  7. Que relíquias, João! Lindas mesmo...Só quem gosta sabe dar o valor que tem.. bjinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Cláudia e tu gostas, que eu sei.
      Bjs,
      MJ

      Eliminar
  8. Olá Linda
    Foste á caça dos Tesouros ?
    Parece que vieste recheada ;)
    1933 é muitos anos ,tens ai peças lindas e únicas ,penso que depois de limpas hão de fazer um brilharete .
    Fico á espera do depois
    Boa semana
    (espero que esteja tudo a correr pelo melhor no trabalho ;)
    Lulu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá minha linda,
      Obrigada, para mim são mesmo um tesouro!
      Pelo trabalho, por enquanto pacifico, com alguns comentários desnecessários, mas vou metendo para trás das costas.
      Bjs,
      MJ

      Eliminar
  9. Olá João, vou te dizer que fizeste muito bem em guardar tudo e só voltares a abrir quando te sentiste confortável. Perdi a minha avó num ano, e a minha mãe um ano depois. Lembro-me que na altura "fartei-me" , sim fartei-me, é o termo, de abrir cartas, ler documentos, ver fotos, de gente que já cá não estava. Num rompante, rasguei e mandei tudo para o lixo. Hoje arrependo-me claro. Deveria ter feito como tu: esperado a dor passar.
    Olha, sobre as cerdas não te sei ajudar, mas do copinho do teu avô, faria uma bela jarrinha para flores pequenas, e aproveitava uma das molduras para emoldurar as imagens. Mas coloca as imagens entre 2 vidros, para se poder ler o que está por trás. Tenho isso feito em minha casa, com um cartão escrito pela minha mãe, e fica bonito. Beijo grande, demonstraste uma inteligência que eu não tive.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Val,
      As perdas são sempre demasiado difíceis de gerir. Quando entrava na minha arrecadação e olhava para a caixa, muitas vezes pensei em deitar fora sem sequer a abrir, mas faltou-me a coragem. Agora, passados 11 anos sobre a morte da minha avó e 4 do meu avô e olhando para aquelas peças, dou graças a Deus por não o ter feito.
      Aquelas peças vão ter um cantinho de destaque no meu quarto e sim, a ideia que tinha era essa mesma, utilizar o copo como jarra. Obrigada pela dica da forma como emoldurar as imagens.
      Bjs,
      MJ

      Eliminar
  10. Olá Maria João, mas que belos tesouros tem aí. Tão bom podermos ter peças dos nossos familiares queridos. Tenho a certeza que vai tornar essas peças ainda mais lindas. Se puder partilhe as fotos. beijinho.s

    ResponderEliminar
  11. It's remarkable to visit this web site and reading the views of all
    colleagues on the topic of this post, while I am also keen of getting familiarity.


    my blog post tanki online quest

    ResponderEliminar
  12. Olá!
    Fez muito bem em deixar o tempo passar, ele não cura tudo, mas ajuda a aliviar a dor.
    Também tenho aqui na minha casa várias coisas que eram dos nossos avós e sou muito feliz por as ter!
    Bj e boa semana.

    ResponderEliminar

Obrigada pela visita.